Migrando…

4 05 2011


estou publicando agora aqui:





DO CHÃO AO CÉU

16 03 2011


Hoje acordei caindo.
Mas uma queda às avessas.
Caindo para o céu.
Do chão.
Quase tocando o infinito.
Quase.
Caio.

“Porque ver é permitido, mas sentir já é perigoso” (Caio F. Abreu)





“Meu maior risco ao devorar a dor é esse petisco ter sabor”. (João Andrade)

1 02 2011




Poemas rupestres

13 09 2010


Por viver muitos anos dentro do mato
Moda ave
O menino pegou um olhar de pássaro –
Contraiu visão Fontana.
Por forma que ele enxergava as coisas
Por igual
Como os pássaros enxergam.
As coisas todas inonimadas.
Água não era ainda a palavra água.
Pedra não era ainda a palavra pedra.
E tal.
As palavras eram livres de gramática e
Podiam ficar em qualquer posição.
Por forma que o menino podia inaugurar.
Podia dar às pedras costumes de flor.
Podia dar ao canto formato de sol.
E, se quisesse caber em uma abelha, era
só abrir a palavra abelha e entrar dentro
dela.
Como se fosse a infância da língua.

(Manoel de Barros)





Modificar a tarde…

28 08 2010

“O menino era ligado em despropósitos. quis montar os alicerces de uma casa sobre o orvalho (…) viu que podia fazer peraltagens com as palavras (…) Foi capaz de modificar a tarde botando uma chuva nela. O menino fazia prodígios. Até fez uma pedra virar flor”. (Manoel de Barros)





DIONISIOS ARES AFRODITE

19 08 2010

aos deuses mais cruéis

juventude eterna

eles nos dão de beber

na mesma taça

o vinho, o sangue e o esperma.

(Paulo Leminski)





Guerra e Paz

29 07 2010

Feche a porta, esqueça o barulho
Feche os olhos, tome ar: é hora do mergulho…

“se queres paz, te prepara para a guerra”
“se não queres nada, descansa em paz”

(Gessinger)